Ver o conteúdo do artigo
Do R7 Conteúdo e Marca

Talvez seja difícil para as novas gerações imaginarem um mundo sem as facilidades da tecnologia ou dos comportamentos e conexões contemporâneos trazidos pela internet e plataformas digitais. Se a tentativa de visualizar um mundo desconectado é um exercício de criatividade, uma empresa se adaptar e coexistir nos últimos 100 anos é um exercício de gestão.

Em 1921, o mesmo mundo era retratado em preto e branco e recuperava-se da Primeira Guerra Mundial, a televisão ainda não existia e o cinema era mudo.

No mesmo ano, em Araraquara, cidade distante cerca de 250 km de São Paulo, o imigrante italiano Henrique Lupo produzia meias masculinas na sala de casa e tingia os produtos na banheira, sem imaginar que aquele início caseiro se tornaria um império cuja história mescla-se à do país. Cem anos depois, no mundo regido pela tecnologia, a Lupo celebra conquistas, superação e inovação.

A sede da Meias Lupo em 1921 (Divulgação)
A sede da Meias Lupo em 1921 Divulgação

“Sem dúvida, chegar aos 100 anos é motivo de celebração. Mas mais do que celebração, é motivo de olhar para a nossa história e refletir sobre quão valiosas são as lições que colhemos durante essa jornada que já dura três gerações”

Liliana Aufiero, Diretora Presidente da Lupo e neta do fundador Henrique Lupo

A época da grande comemoração do centenário trouxe uma nova oportunidade de reinvenção. Mesmo no delicado contexto pandêmico, a marca demonstrou mais uma força de inovação. Em 2020, a Lupo adaptou-se e solidificou ainda mais a sua posição de liderança no mercado, com o desenvolvimento de máscaras no combate à COVID-19.

O produto tão necessário e com tecnologia inovadora, tornou-se um dos carros-chefes da companhia. As máscaras foram desenvolvidas com a tecnologia antiviral e antibacteriana Amni Virus-Bac Off. O sucesso foi tão grande que além das máscaras, essa tecnologia está em aplicação em outras linhas de produtos da Lupo.

Ainda para a comemoração do centenário, a marca lançou um novo posicionamento e conceito, com a mensagem “Lupo. Dê o seu melhor” como base de comunicação e relacionamento com diversos públicos. Entre as novidades, o Espaço Lupo será um novo ambiente cultural, como museu interativo para contar a história da marca e de seu fundador, Henrique Lupo. A equipe responsável reúne o escritório de arquitetura MMBB, a historiadora Simona Misan e o especialista em mostras artísticas, o arquiteto Marcus Vinicius. Com este espaço, a Lupo pretende deixar mais um legado sólido para o Brasil.

A história da trajetória da família ainda será contada em um livro de Ignácio de Loyola Brandão, araraquarense, um dos maiores escritores do Brasil, integrante da Academia Brasileira de Letras e Doutor Honoris Causa pela UNESP.

FAMÍLIA ITALIANA


Tentando recuperar a vida depois da crise que assolou a Itália, a família Lupo desembarcou no porto de Santos em 12 de maio 1888, Henrique ainda estava com 11 anos. Tempos depois, já instalado no país, casou-se com Judith Bonini Lupo e teve 10 filhos. Em 1902, seguindo os passos do pai Teodoro, Henrique montou uma relojoaria no endereço em que hoje é o largo de Santa Cruz, em Araraquara.

Henrique Lupo e a esposa Judith Bonini Lupo (Divulgação)
Henrique Lupo e a esposa Judith Bonini Lupo Divulgação

Em 1947, o primeiro marco de inovação foi escrito na história da empresa: o recebimento das primeiras amostras de fio sintético, o nylon, que iria revolucionar o mercado de meias no mundo inteiro. Nesse mesmo período, a Lupo já despontava no cenário brasileiro como a maior fabricante de meias masculinas 100% algodão.

A história da cidade de Araraquara e da Lupo podem ser entendidas como uma só, um relacionamento de cooperação, com passagens que se encontram e símbolos que as unem, como a construção da nova fábrica, em 1955, em formato de L e que trouxe o relógio de quatro faces, que se tornou um ponto de referência para os moradores.

Em 2002, o antigo prédio do relógio foi adaptado e transformado no Shopping Lupo, centro de compras e lazer para a população.

Relógio símbolo para os moradores de Araraquara (Divulgação)
Relógio símbolo para os moradores de Araraquara Divulgação

Nos anos 1960, a empresa adquiriu as primeiras máquinas para produção de meias femininas. Em 2021, a Lupo tem um dos maiores parques industriais do mundo e é uma as maiores na indústria têxtil, com 12 mil itens em seu portfólio, composto pelas marcas Lupo, Lupo Sport, Trifil e Scala, com itens de vestuário para toda a família, como moda íntima, meia e roupas esportivas.

A Lupo é a primeira marca nacional no setor têxtil a alcançar, no INPI, o reconhecimento de marca de Alto Renome, reforçando o quanto está presente no inconsciente e no coração dos brasileiros

PROTAGONISMO FEMININO


A marca sempre valorizou a presença das mulheres entre seus funcionários e produtos de qualidade para as consumidoras. Hoje, com diversas iniciativas para promover a equidade de gênero, a empresa tem 79,4% dos colaboradores que se identificam como sexo feminino, e os colaboradores homens e mulheres que exercem o mesmo cargo, têm como remuneração a mesma base, segundo relatório de sustentabilidade da empresa. 

Liliana Aufiero, neta do fundador Henrique Lupo, é a mulher à frente da empresa há quase três decadas. Ela assumiu a Lupo num momento de quase falência, em 1993, e pediu um ano para colocar as finanças no lugar. A tentativa de reestabelecer a companhia foi uma das mais bem sucedidas ações do mercado brasileiro e a presidente do grupo, considerada uma das melhores CEOs do Brasil.

Liliana Aufiero, neta do fundador Henrique Lupo, é a mulher à frente da empresa há quase três decadas (Divulgação/Lupo)
Liliana Aufiero, neta do fundador Henrique Lupo, é a mulher à frente da empresa há quase três decadas Divulgação/Lupo
INOVAÇÃO


A inovação tecnológica é característica sempre presente na história da Lupo, e sempre pensada para que o consumidor tenha uma experiência integrada com a marca, com um relacionamento mais próximos. A companhia criou em 2020, um laboratório de desenvolvimento de soluções para o varejo, a primeira solução entregue em 2020 foi um APP de checkout móvel que funciona integrado com as máquinas de cartão das adquirentes, para a experiência do consumidor e aumentar a eficiência do PDV. Com essa nova ferramenta, o vendedor é responsável pela venda e recebimento, evitando uma “quebra” no relacionamento já estabelecido com o consumidor durante o processo.

E de olho na tendência Omni, o Grupo está desenvolvendo a plataforma Fast Lupo, que busca integrar os canais de venda, proporcionando aos consumidores uma experiência de compra unificada, independentemente do canal utilizado.

“É um desafio enorme interligar vários canais de distribuição com sistemas de tecnologia diferentes, além de modelos de gestão independentes. Porém, a marca enxerga muitas oportunidades para essa plataforma. Para os lojistas, essa estratégia se traduz em novas oportunidades de venda e fidelização do consumidor”, explica a Diretora Presidente da Lupo, Liliana Aufiero. “Seguiremos evoluindo a plataforma Fast Lupo e integrando com nossos lojistas, para melhorar ainda mais a experiência de compra de nossos consumidores”, completa.

A Lupo é uma empresa centenária, com trajetória marcada por inovações tecnológicas no setor têxtil e sempre atenta às novas necessidades do mercado (Divulgação)
A Lupo é uma empresa centenária, com trajetória marcada por inovações tecnológicas no setor têxtil e sempre atenta às novas necessidades do mercado Divulgação
SUSTENTABILIDADE E CAPITAL HUMANO


A sustentabilidade é um dos principais objetivos da Lupo, como a busca pela utilização consciente dos recursos naturais com reuso e reciclagem, sempre que possível, procurando o aprimoramento do capital humano. A Lupo utiliza 100% de fios e malhas de algodão com certificação BCI (Better Cotton Initiative), uma organização sem fins lucrativos criada em 2002, com sede em Genebra, na Suíça, que atua na melhoria dos processos de plantio de algodão.

A Lupo também possuiu Certificação Florestal do Forest Stewardship Council (FSC), em 100% de suas embalagens de cartão, ajudando na preservação dos recursos naturais. Complementando as ações de responsabilidade com o meio ambiente, o consumo de energia elétrica, lenha e combustível vem sendo reduzido.

No relatório de sustentabilidade mais recente da Lupo, foi apresentada redução de 65% no consumo de energia elétrica, assim como diminuição significativa na emissão de CO ², de 2017 para cá. Economia de água e todos os outros recursos também são uma preocupação da empresa, que vem atingindo resultados cada vez mais promissores.

Marca e fabricante de referência na indústria têxtil do Brasil, a Lupo está sediada na cidade de Araraquara (Arte R7)
Marca e fabricante de referência na indústria têxtil do Brasil, a Lupo está sediada na cidade de Araraquara Arte R7

Diante de uma história de resiliência e inovação, do interior de São Paulo para mais de 30 países, de produtos, posicionamentos, iniciativas e liderança de mercado, os 100 anos da Lupo contam com um fator determinante: os funcionários. O time que dá o seu melhor em tudo o que faz, que é movido por princípios e busca pela excelência. Os próximos são 100 anos estão logo ali.

Uma iniciativa: Lupo

Uma iniciativa: Lupo
A Lupo é uma empresa centenária, com trajetória marcada por inovações tecnológicas no setor têxtil e sempre atenta às novas necessidades do mercado

Produção audiovisual: Lupo
Arte: Sabrina Cessarovice

Conteúdo e Marca R7 Multiplataforma
Redatores
: Bruna Vichi, Cleide Oliveira e Rodolfo Paioletti
Editora-chefe: Maria Beatriz Zultauskas